#ResenhasGamers – Outriders

Olá, jovens Padawans!

Hoje vamos falar de um jogo que tem tudo para ser o querido dos gamers nessa temporada: Outriders

Apesar de ter sido confirmado como um dos primeiros jogos de nova geração, Outriders chegou agora em 2021 sem muito estardalhaço, mas para praticamente todas as plataformas e com a vantagem de ter saído de forma gratuita para quem é assinante do Game Pass, aliás, jogar de graça é uma grande vantagem em meio a quantidade de problemas que o jogo vem tendo desde o lançamento, vamos falar disso mais adiante.

O jogo é um shooter cooperativo, desenvolvido pela People Can Fly, conhecida pelos jogos Gears of War: Judgment e Bulletstorm. Diferentemente da postura adotada em outros  “looter shooter” como Destiny, The Division, Anthem e até mesmo Marvel’s Avengers, jogo da Square Enix, mesma publisher de Outriders, o jogo foi entregue bem completo com todo o modo história, missões secundárias, caçadas e expedições que te fazem percorrer todo o universo do jogo sem ter que ficar gastando dinheiro extra, já está tudo lá, armas, armaduras, melhorias de caminhão, bandeiras, basta conquistar. Mas, a história em si dá margem para que possam haver continuações que não sabemos se irão acontecer ou como irão ocorrer (novo jogo, DLCs pagas ou gratuitas, etc).

Outriders é muito bom (claro, é opinião pessoal e dos amigos que jogam comigo), mas não é nada inovador e é inclusive comparável com outros vários games e histórias já conhecidas, desafiadoras e divertidas. Arrisco dizer que tem elementos de Destiny, Gears of War e até da franquia Diablo. O jogo em si, não se parece com nenhum dos Diablo’s em estilo, mas a forma de você “farmar” e guardar armas e armaduras, por exemplo, quebrar ou vender para colher recursos e novas dinâmicas é muito parecida. Voltando a falar de gênero e estilo, Outriders está mais para jogo de ação e tiro que mistura visões terceira e primeira pessoa,  com dinâmicas de história, mapa, missões e loots de RPG e jogabilidade para apenas um jogador ou multiplayer cooperativo. Aliás, jogar de forma cooperativa é a melhor e mais divertida forma de jogar, até porque tem vários pontos do jogo em que você precisa travar estratégias e composições de times equilibradas para concluir as missões.

Mas, enfim, PH… Como é a aventura? Como ela se passa?

A aventura se passa em um não muito distante ano de 2076, onde enfim nós humanos conseguimos acabar com a Terra e fugimos para um outro planeta chamado Enoch. A princípio, os primeiros humanos a chegar ao planeta são cientistas e batedores que vão estudar o terreno e se deparam com um planeta lindo, de natureza abundante, mas que também guarda alguns mistérios, como as tempestades energéticas chamadas de Anomalia.

Enquanto o restante dos terráqueos “hiberna” no espaço à bordo da gigantesca nave Flores, os primeiros desbravadores tem seu primeiro contato com a Anomalia, que dizima boa parte dos colonizadores, mas também acaba dando poderes a alguns humanos que passam a ser chamados de Divergentes. O problema é que nem todo divergente é pacífico, outras criaturas do planeta também são afetadas pela anomalia e como em todo o cenário caótico, sobreviver a qualquer custo vira o lema de todos os sobreviventes restantes.

Outriders: veja requisitos, como fazer download e dicas para jogar o game |  Jogos de tiro | TechTudo

O seu personagem, é um dos batedores ou como chamado no jogo: Outrider, ele é um dos desbravadores que saem da Flores para ter o primeiro contato com o solo de Enoch. Ao primeiro contato com a Anomalia ele sobrevive e recebe poderes incríveis, mas essa primeira crise gerada pela Anomalia, faz com que ele e outros Outriders fiquem congelados durante 3 décadas, vindo a despertar em meio ao caos de um mundo em uma guerra que envolve os sobreviventes divididos em facções e monstros. Acreditem, são muitos personagens bizarros,  civilizações perdidas, tribos canibais e etc.

Tá bom, entendi. Mas, existem outros atrativos no jogo?

Você quer mais? Então vai.

O roteiro é bem montado e contado, fazendo com que não fiquem pontas soltas na história. Na medida que você vai desbravando Enoch, a história vai sendo contada ao longo da missão principal, das secundárias e também dos colecionáveis encontrados ao longo do jogo. Os colecionáveis são muito importantes, pois contém anotações, diários, livros e documentos que contam o que foi se passando ao longo do tempo e apresentando a história e participação dos demais personagens.

Como falei lá no início, o jogo não traz nada de inovador, mas é bem envolvente e divertido. Você passa horas jogando sem perceber. Nem o design é altamente diferenciado, mas é bem bonito e diversificado e faz com que as missões não sejam repetitivas. Cada missão tem um formato, um cenário, uma forma de abordagem e acreditem, na medida que você avança no grau de mundo, como é chamado o grau de dificuldade do jogo, você pode até voltar e fazer uma missão já concluída, que ainda assim a diversão será garantida e o desafio será muito maior.

New Outriders video explores the Frontiers of Enoch - Gamersyde

O sistema de combate e as batalhas te prendem pela ação e movimentação, o design dos cenários de combate não é surpreendente, se você encontra uma caixa de munições e lugares para se esconder, tenha a certeza que lá vem um tiroteio dos bons. Mesmo parecendo um formato clichê, a People Can Fly demonstra que é possível não ser repetitivo, que é possível trazer emoções sem a sensação de parecer que você está em um jogo de guerra só que com poderes.

Como é a evolução do personagem? Existe algo de especial?

Ao passar pelo início da história, você precisa escolher entre 4 classes de Outrider. Cada uma das classes tem oito habilidades, que vão sendo desbloqueadas à medida em que o personagem vai subindo de nível. A escolha das habilidades vai se encaixar de acordo com o estilo de jogo que se encaixe melhor com a trilha ou build montada para ele. Montar uma build e escolher as habilidades pode trazer vantagens ou desvantagens dentro do estilo de jogo. Uma vez escolhida uma classe, você não pode trocar (claro, pode criar outros personagens de outras classes), mas pode variar tanto as habilidades, quanto a build e ainda ter um leque de armas e armaduras na mochila, com mods que melhor se adaptem as habilidades e builds que estão em uso.

Cómo elegir un camino en Outriders (y cómo funcionan) | - La Neta Neta

As classes de personagens, são:

Devastator

É o que chamamos de “Tanque” em boa parte dos jogos de mesmo estilo, o Devastator é uma classe de curto alcance, seu foco é a defesa dos aliados. Tem uma movimentação mais lenta, mas tem mais força, a ponto de levantar um inimigo ao bater no chão. Outra habilidade do Devastator é o controle da gravidade, útil para reter projéteis antes que eles atinjam o seu alvo.

Trickster

Personagens de muita mobilidade, rapidez na locomoção e posicionamento e muito letais na curta distância. Entre as habilidades, estão a Slow Trap, onde eles podem prender inimigos em uma bolha que deixa os seus movimentos mais lentos e a Hunt the Prey que teleporta o personagem diretamente para um inimigo específico. Trocar um pouco de energia por escudo também é uma forma de melhorar a proteção.

Pyromancer

Classe com características de ataque de médio alcance com a capacidade de controlar o fogo. Não são tão resistentes para o combate de curta distância, mas são capazes de se curar ao incinerar inimigos, além de atirar fogo e usar bombas térmicas.

Technomancer

É a classe que estou usando atualmente. É especialista em suporte e com habilidades de cura excelentes para si, para a equipe e até para as torretas. As torretas tem um grande destaque por manter os inimigos afastados e gerando dano constante enquanto em uso. É possível, por exemplo, utilizar uma torreta de congelamento para limitar a movimentação dos inimigos enquanto se mantém afastado da batalha em posição de sniper.

Enfim, todas as quatro classes são agressivas e cooperativas, cada uma à sua maneira, mas não para no fato de você escolher a classe. O nível de evolução do personagem passa pela escolha de pontos em 3 ramificações que chamamos de builds: é onde você faz os ajustes mais precisos que vão indicar a melhor forma de você utilizar o personagem. Além das builds e habilidades, o jogo é muito rico em armas e armaduras que vão ficando melhores conforme você vai evoluindo e modificando. Equipamentos com alto grau de raridade são excelentes mas, não se engane, mesmo um equipamento comum pode alcançar níveis de evolução que um equipamento raro não vai alcançar. É necessário entender o papel de cada personagem, combinar bem builds, habilidades e armas e partir pra diversão.

Mas, o jogo é tão perfeito assim?

Não, meu jovem. Não se engane. O jogo é excelente, mas como parece comum ultimamente, também foi lançado com problemas. No início havia uma série de bugs que em boa parte foi sendo tratado. As correções tem sido até que rápidas, de certa forma. Antes, por exemplo, você tinha muitos bugs de cenário que te deixavam preso em um ponto, encurralado e sem chance de muita defesa. Constantemente, as armas falhavam, comandos do jogo paravam de funcionar durante a partida, etc. Os problemas mais graves afetavam o modo multiplayer, onde ao estar em um ambiente com o time completo e com muitos NPCs, era comum ter lag e quedas das partidas. Algumas quedas das partidas ainda acontecem e os lags melhoraram bastante. É terrível, ao cair de uma partida, ter que encerrar o jogo completamente e entrar novamente. Só tentar voltar para a partida não resolve, pois dá uma mensagem de erro ao tentar se juntar novamente ao time. Outro problema comum era o jogo fechar sozinho no meio da partida. Aparentemente isso também foi resolvido na última atualização. Outro problema, que não é um bug mas é incômodo, são os tempos de loading para quem ainda está na geração anterior, eles são absurdos.

Problemas a parte, o jogo é muito divertido e te rende boas horas de jogatina. Uma vez finalizando a história, e as úteis, divertidas e nada repetitivas missões secundárias, você começa a encarar as Expedições. Cada combate se passa em cenários já conhecidos da história, mas com desafios, dinâmicas e conquistas diferentes. Tudo fica mais desafiador, mas as recompensas são as melhores.

No momento, estou me divertindo com as expedições e voltando em alguns momentos da história junto com os amigos que não finalizaram ainda. E vou jogando com a mesma empolgação com a qual iniciei. Acreditem, é muito bom.

E você, já começou a se divertir com Outriders? Deixe seu comentário e fale sobre suas experiências ou suas expectativas, caso ainda não tenha começado, mas tenha interesse.

Serviço:

  • Jogo: Outriders
  • Publicadora: Square Enix
  • Lançamento: Abril de 2021
  • Desenvolvedora: People Can Fly
  • Gênero: Tiro, Aventura, RPG, Visão variada em primeira e terceira pessoa, Loot game
  • Plataformas: PC, Xbox Series X e S, Playstation 4 e 5 e Xbox One

Paulo Souza

Pai, Marido e Nerd full time. Nerdice raiz é a minha essência.